Política de Sustentabilidade

Histórico de Revisões

Versão: Data de Revisão: Histórico:
1 03/06/2013 Elaboração do Documento.
2 26/06/2015 Unificação com a política de Responsabilidade Corporativa.
Adequação do Objetivo (I) e Diretrizes (VI).
Inclusão dos itens Abrangência (II), Documentação Complementar (III), Conceitos e Siglas (IV), Responsabilidades (V), Gestão de Consequências (VII) e Disposições Gerais (VIII).
3 06/05/2016 Alteração da VPE responsável pela Política de Relações Institucionais para Desenvolvimento Organizacional;
Atualização dos itens Documentação Complementar (III) e dos seguintes itens das Diretrizes (VI): 3.1, 3.2, 8.3 e 8.5;
Inclusão dos itens 3.3, 3.5, 4.3 e 9.2 das Diretrizes (VI).
4 07/06/2018 Atualização dos itens: Objetivo (I); Abrangência (II); Diretrizes (III): 1.1 e 1.2; 2.3; 3, 3.2, 3.3; 5.2; 6.3, 6.4; 8.1, 8.2, 8.3, 8.4, 8.5, 8.6, 8.7; e 10.1; Responsabilidades (VI) e Documentação Complementar (VII).
5 22/05/2020 Alteração dos itens I. Objetivo; II. Abrangência; III. Diretrizes – subitens 1.1, 2.1, 2.2, 3.1, 3.3., 3.4, 3.5, 5.1, 6.1, 6.2, 6.3, 7.1, 8.1, 8.2, 9., 9.1, 9.2, 10.1; V. Responsabilidades; VI. Documentação Complementar; VII. Conceitos e Siglas.

 

I. Objetivo

Reafirmar o compromisso da Cielo, empresa de tecnologia e serviços, com o desenvolvimento sustentável, estabelecendo as diretrizes para a inserção dos aspectos sociais, ambientais e de governança aos seus negócios.

II. Abrangência

Todos os administradores (diretores, membros do Conselho de Administração e membros dos Comitês de Assessoramento), membros do Conselho Fiscal e colaboradores das empresas Cielo S.A., Servinet Serviços Ltda., Aliança Pagamentos e Participações Ltda. e Stelo S.A., devorante denominadas (“Cielo” ou “Companhia”).
Todas as sociedades controladas da Companhia devem definir seus direcionamentos a partir das orientações previstas na presente Política, considerando as necessidades específicas e os aspectos legais e regulamentares a que estão sujeitas.
Em relação às Sociedades Coligadas, os representantes da Companhia que atuem na administração das Sociedades Coligadas devem envidar esforços para que elas definam seus direcionamentos a partir das orientações previstas na presente Política, considerando as necessidades específicas e os aspectos legais e regulamentares a que estão sujeitas.

III. Diretrizes

1. Ética em todas as relações

1.1. A Ética é um valor da Companhia e deve ser premissa para o relacionamento com todas as partes interessadas.

1.2. Os preceitos da conduta ética estão estabelecidos no Código de Conduta Ética e definem os comportamentos desejados dos colaboradores.

2. Combate à Corrupção

2.1. A Companhia não compactua com quaisquer formas de corrupção nos negócios e busca esse mesmo compromisso na sua cadeia de valor.

2.2. A postura ética e transparente é mantida e promovida pela Companhia em todos os seus níveis de atividades e relacionamentos de negócios, repudiando e combatendo qualquer forma de ilicitude, a exemplo de corrupção ou suborno.

2.3. É papel do colaborador, fornecedor ou cliente contribuir com um ambiente livre de corrupção. Quaisquer indícios de ações de corrupção devem ser encaminhados de forma anônima ao Canal de Ética.

2.4. Medidas disciplinares e/ou legais são tomadas caso situações de descumprimento a essas diretrizes sejam constatadas, tanto internamente como na cadeia de fornecimento.

2.5. A relação de qualquer representante da companhia com o poder público segue os preceitos desta Política e é tratada em norma específica.

3. Responsabilidade Social e Respeito aos Direitos Humanos

3.1. A Companhia está comprometida com a promoção e proteção dos direitos humanos e a liberdade fundamental em todas as suas relações de negócio.

3.2. As relações da companhia com as partes interessadas, são baseadas em seus valores, atuando de forma ética, transparente e responsável, promovendo a valorização da diversidade, visando combater a discriminação em qualquer de suas formas – por sexo, cor, raça, idioma, etnia, deficiência, orientação sexual, condição financeira, religião, origem nacional ou social, estado civil, opinião política, idade ou qualquer outra característica pessoal.

3.3. A Companhia defende os direitos fundamentais nas relações de trabalho e repudia a exploração das pessoas, em especial crianças e adolescentes, respeitando a legislação brasileira e normas internacionais, tais como a Declaração Universal dos Direitos Humanos e os Princípios Orientadores sobre Empresas e Direitos Humanos.

3.4.  A Companhia não compactua com a exploração sexual de menores em sua cadeia de valor, assim como não aceita a utilização de seus produtos/serviços por clientes que possam explorar esta atividade.

3.5. A Companhia respeita a privacidade e assegura a liberdade de opinião e expressão dos seus colaboradores, clientes, fornecedores e de todos os demais envolvidos nas suas relações de negócio, estabelecendo estruturas internas e procedimentos visando à proteção desses direitos.

4. Responsabilidade na cadeia de valor

4.1. A Cielo estimula a transparência e o diálogo ao longo da sua cadeia de valor.

4.2. A cadeia de valor é incentivada a promover boas práticas socioambientais e de governança, especialmente nas relações estabelecidas com a Cielo.

4.3. A proteção e promoção dos direitos humanos e às liberdades fundamentais devem ser respeitadas e implementadas na cadeia de valor.

4.4. A Companhia priorizará os fornecedores que estejam engajados e pratiquem a responsabilidade socioambiental, estando assim em conformidade com os princípios definidos neste documento.

4.5. Fornecedores de transportes logísticos são orientados e incentivados a utilizar soluções para a redução de gases de efeito estufa (GEE).

4.6. Parcerias, apoios e cooperação com entidades governamentais, ONGs e atores sociais são realizados para o desenvolvimento e promoção de ações de responsabilidade socioambiental em diversos segmentos da sociedade civil.

5. Concorrência leal

5.1. A Companhia respeita os concorrentes e acredita que a concorrência leal contribui para o aperfeiçoamento do mercado. Nesse sentido, a Cielo possui uma Política Concorrencial em vigor, cujo objetivo é estabelecer diretrizes para prevenção de infrações contra a ordem econômica, tanto no contexto de contatos entre concorrentes, quanto no que se refere a práticas comerciais da Cielo.

6. Investimentos Sociais

6.1. A Companhia busca contribuir com as discussões de agendas para o desenvolvimento sustentável e participa de debates para o desenvolvimento local.

6.2. A Companhia contribui com o desenvolvimento da sociedade, disponibilizando, de forma voluntária, recursos a projetos e/ou que promovam a transformação da realidade dos públicos atendidos.

6.3. Projetos oriundos de organizações sociais que tenham alinhamento com os focos de atuação da Companhia são priorizados, bem como iniciativas vinculadas às agendas públicas.

6.4. Com o objetivo de democratizar o acesso dessas organizações sociais ao apoio da Cielo, a Companhia mantém canais estruturados para recebimento de projetos, adotando critérios claros para suas escolhas, monitorando sua execução e obtenção dos resultados, bem como auditando a adequada aplicação dos recursos concedidos.

7. Voluntariado

7.1. A Cielo incentiva o voluntariado por meio de ações que apoiem o envolvimento dos seus colaboradores em atividades na comunidade em que atua, conforme disposto em norma interna.

8. Gestão eficiente dos recursos naturais e redução dos impactos ambientais

8.1. O desenvolvimento e o desempenho das atividades econômicas da Companhia estão em conformidade com requisitos legais e outros requisitos aplicáveis às questões ambientais, conforme legislação vigente aplicável.

8.2. A Companhia busca implementar as melhores práticas de gestão ambiental com uma abordagem preventiva de forma a mitigar potenciais impactos ambientais decorrentes de suas operações, produtos e serviços, buscando o contínuo aprimoramento de seus processos.

8.3. Os recursos naturais são utilizados de maneira responsável e sustentável, sendo adotadas medidas internas com vistas a racionalizar o uso de recursos não renováveis, priorizando e estimulando a eficiência hídrica e energética, o reaproveitamento de materiais, o tratamento adequado dos resíduos e materiais descartáveis.

8.4. A Companhia incentiva a preservação do meio ambiente, por meio da inovação tecnológica e busca a conservação da biodiversidade, garantindo que aspectos socioambientais sejam identificados e monitorados durante o ciclo de desenvolvimento de atividades, produtos e serviços, de forma a prevenir a ocorrência de impactos significativos, decorrentes de suas operações, utilizando de forma sustentável os serviços ecossistêmicos.

8.5. A Cielo contribui para o combate às mudanças climáticas, por meio de estratégia de mensuração dos impactos, redução das emissões, estabelecimento de metas, compensação das emissões não evitadas, implementação de medidas de adaptação e participação em discussões sobre políticas públicas, que contribuam para economia de baixo carbono e divulgação das iniciativas em relação às mudanças climáticas.

8.6. Os colaboradores são conscientizados e treinados e os prestadores de serviços orientados sobre as questões socioambientais, reforçando os conceitos de cidadania e desenvolvimento sustentável.

9. Riscos Socioambientais

9.1. A Companhia possui um método que fornece subsídios para identificar, avaliar, responder, monitorar e reportar o risco socioambiental à Diretoria-Executiva, ao Conselho de Administração, ao Comitê de Riscos e aos órgãos reguladores, conforme o caso.

9.2. A Companhia identifica e avalia os riscos socioambientais com colaboradores, fornecedores, clientes, produtos, serviços, sistemas e processos.

10. Divulgação

10.1. Para inserir a sustentabilidade em seus processos de decisão, a Companhia adota modelo de governança compatível às suas atividades, em que todos os temas relacionados à sustentabilidade são previamente apreciados pela Diretoria-Executiva e, posteriormente, submetidos ao Comitê de Sustentabilidade e Conselho de Administração, conforme aplicável.

IV. Gestão de Consequências

Colaboradores, fornecedores ou outros stakeholders que observarem quaisquer desvios às diretrizes desta Política, poderão relatar o fato ao Canal de Ética (www.canaldeetica.com.br/cielo ou 0800 775 0808), podendo ou não se identificar.

Internamente, o descumprimento das diretrizes desta Política enseja a aplicação de medidas de responsabilização dos agentes que a descumprirem conforme a respectiva gravidade do descumprimento.

V. Responsabilidades

  •  Administradores e Colaboradores: Observar e zelar pelo cumprimento da presente Política e, quando assim se fizer necessário, acionar a Gerência de Sustentabilidade e Responsabilidade Corporativa para consulta sobre situações que envolvam conflito com esta Política ou mediante a ocorrência de situações nela descritas.
  • VPE de Gente, Gestão e Performance e Gerência de Sustentabilidade (Superintendência Executiva de Gestão, Remuneração e Sustentabilidade): São responsáveis pela propositura de atualização dessa Política no que se refere ao público interno e externo, buscando alinhamento com as melhores práticas do mercado.

VI. Documentação Complementar

  • Pacto Global das Nações Unidas (www.unglobalcompact.org/)
  • Declaração Universal dos Direitos Humanos
  • Princípios Orientadores sobre Empresas e Direitos Humanos
  • Carta Internacional dos Direitos Humanos
  • Global Reporting Initiative
  • Programa Brasileiro GHG Protocol
  • Código de Conduta Ética
  • Política Anticorrupção
  • Política de Gestão de Riscos Corporativos e Controles Internos
  • Demais políticas e normas internas aperfeiçoadas constantemente, aprovadas pelas alçadas competentes e disponibilizadas a todos os colaboradores

VII. Conceitos e Siglas

  • Atores sociais: são pessoas, grupos de pessoas ou organizações que integram e/ou representam o sistema político e social de determinada região e/ou relacionada a determinado tema.
  • Atores locais: são pessoas, grupos de pessoas ou organizações que estão estabelecidas e/ou trabalham em quaisquer áreas sujeitas aos impactos econômicos, sociais ou ambientais (positivos ou negativos) resultantes das operações da organização. Atores locais incluem tanto pessoas que vivem próximas a operações como em assentamentos isolados e afastados das operações, mas que podem sofrer seus impactos diretos.
  • Desenvolvimento Sustentável: é o desenvolvimento que satisfaz as necessidades do presente sem comprometer a capacidade das gerações futuras de satisfazerem suas próprias necessidades.
  • GEE: gases de efeito estufa
  • Investimento Social Privado: é o repasse voluntário de recursos privados de forma planejada, monitorada e sistemática para projetos sociais, ambientais e culturais de interesse público.
  • ONGs: organizações não governamentais
  • Stakeholders: são todos os públicos relevantes com interesses pertinentes à companhia, ou ainda, indivíduos ou entidades que assumam algum tipo de risco, direto ou indireto, em face da sociedade. Entre outros, destacam-se: acionistas, investidores, colaboradores, sociedade, clientes, fornecedores, credores, governos e órgãos reguladores, concorrentes, imprensa, usuários dos meios de pagamento e organizações não governamentais.

VIII. Disposições Gerais

É competência do Conselho de Administração da Companhia alterar esta Política sempre que se fizer necessário.

Esta Política entra em vigor na data de sua aprovação pelo Conselho de Administração e revoga quaisquer normas e procedimentos em contrário.