Política de Gestão de Recursos Humanos

Histórico de Revisões

Versão: Data de Revisão: Histórico:
1 03/06/2013 Elaboração do Documento.
2 26/06/2015 Inclusão dos itens Abrangência (II), Documentação Complementar (III), Conceitos e Siglas (IV), Responsabilidades (V), Gestão de Consequências (VII) e Exceções (VIII);
Atualização do item 2.2.
3 25/08/2017 Atualização dos itens II. Abrangência, III. Documentação Complementar e VII. Gestão de Consequências.
4 30/12/2019 Atualização dos itens II. Abrangência, III. Diretrizes subitens 2, 2.1 e 2.2, IV. Exceções, VII. Documentação Complementar, VIII. Conceitos e Siglas e IX. Disposições Gerais.
Inclusão do subitem 2.3.1 no item III. Diretrizes.

  

I. Objetivo

Definir os Princípios e a Estratégia de Gestão de Recursos Humanos envolvidos na operação da Cielo e a governança necessária para dar suporte a essa estratégia.

II. Abrangência

Todos os administradores (diretores, membros do Conselho de Administração e membros dos Comitês de Assessoramento), membros do Conselho Fiscal e colaboradores das empresas Cielo S.A., Servinet Serviços Ltda., Aliança Pagamentos e Participações Ltda. e Stelo S.A., devorante denominadas (“Cielo” ou “Companhia”).

Todas as Sociedades Controladas da Companhia devem definir seus direcionamentos a partir das orientações previstas na presente Política, considerando as necessidades específicas e os aspectos legais e regulamentares a que estão sujeitas.

Em relação às Sociedades Coligadas, os representantes da Companhia que atuem na administração das Sociedades Coligadas devem envidar esforços para que elas definam seus direcionamentos a partir das orientações previstas na presente Política, considerando as necessidades específicas e os aspectos legais e regulamentares a que estão sujeitas.

III. Diretrizes

1. Princípios

1.1. A diversidade e dignidade do ser humano são respeitadas, não se admitindo atos discriminatórios, de preconceito, de intimidação ou assédio de qualquer natureza em qualquer situação. A Cielo considera que o respeito a diversidade de ideias está no seu jeito de ser e isso se reflete na atitude de todos os seus colaboradores.

1.2. A Cielo valoriza a transparência e diálogo aberto como instrumentos de aperfeiçoamento da organização.

1.3. A Cielo está compromissada com as convenções da Organização Internacional do Trabalho (OIT), com a defesa e proteção aos Direitos Humanos e Direitos da Criança e segue exigências, normas e convenções legais pertinentes às relações e ambiente de trabalho.

1.4. A Cielo valoriza e fomenta o equilíbrio entre trabalho, saúde e família por meio de diversas ações.

1.5. A Cielo respeita o direito dos colaboradores a livre associação sindical e ao direito à negociação coletiva.

1.6. Os talentos são da Cielo e não de áreas específicas.

2. Proposta de valor

2.1. A Estratégia de Gestão de Recursos Humanos está sintetizada em duas propostas de valor que tem o objetivo de garantir a geração de valor para acionistas, colaboradores e demais pessoas envolvidas na operação da Cielo. Essa geração de valor se dá através da gestão ótima do capital humano envolvido na operação da Companhia e dos seguintes pilares.

2.1.1. Garantir que a cultura suporte a estratégia organizacional;

2.1.2. Garantir prontidão de pessoas que façam a diferença;

2.1.3. Reforçar meritocracia, possibilitando reconhecer e recompensar colaboradores com comprometimento e desempenho superiores;

2.1.4. Garantir um ambiente mais inclusivo e diverso;

2.1.5. Fortalecer a visão Cliente.

2.2. A Proposta de Valor para o Acionista tem o objetivo de definir como a gestão ótima do capital humano envolvido na operação da Cielo pode contribuir para a sustentabilidade do negócio.

2.3. A Proposta de Valor para o Colaborador tem o objetivo de criar soluções de gestão de pessoas, expandir o capital intelectual e fortalecer a cultura organizacional para responder de forma estratégica ao cenário da organização.

2.3.1. A Cielo valoriza e potencializa o desenvolvimento de seus colaboradores e para isso proporciona diversas experiências de aprendizagem, nos seus múltiplos formatos. Todos esses alinhados à necessidade e estratégia, buscando a sustentabilidade e perpetuidade do negócio. A área de Treinamento está em constante evolução sempre com o objetivo máximo de desenvolver as fontes humanas da Companhia, afinal elas que nos levarão ao sucesso.

IV. Exceções

As exceções à essa Política deverão ser aprovadas pelo Conselho de Administração.

V. Gestão de Consequências

Colaboradores, fornecedores ou outros stakeholders que observarem quaisquer desvios às diretrizes desta Política, poderão relatar o fato ao Canal de Ética (www.canaldeetica.com.br/cielo ou 0800 775 0808), podendo ou não se identificar.

Internamente, o descumprimento das diretrizes desta Política enseja a aplicação de medidas de responsabilização dos agentes que a descumprirem conforme a respectiva gravidade do descumprimento.

VI. Responsabilidades

  • Administradores e Colaboradores: Observar e zelar pelo cumprimento da presente Política e, quando assim se fizer necessário, acionar a Vice-Presidência Executiva de Desenvolvimento Organizacional para consulta sobre situações que envolvam conflito com esta Política ou mediante a ocorrência de situações nela descritas.
  • Vice-Presidência Executiva de Desenvolvimento Organizacional: É a guardiã dessa Política e responsável pelo seu aperfeiçoamento, atualização, comunicação para os públicos relacionados, publicação e ativação dela e das normas e procedimentos que a suportam. É também responsável pela definição das ações de gestão de consequência referentes a não observação do que essa Política determina.

VII. Documentação Complementar

  • Código de Conduta Ética da Cielo
  • Legislações trabalhistas vigentes no âmbito federal, estadual e municipal.
  • Normas internas aperfeiçoadas constantemente, aprovadas pelas alçadas competentes e disponibilizadas a todos os colaboradores.

VIII. Conceitos e Siglas

  • Sociedades Coligadas: são as sociedades nas quais a Companhia tenha influência significativa, sendo que, nos termos do artigo 243, §4° e §5 da Lei das Sociedades por Ações, (i) há influência significativa quando a Companhia detém ou exerce o poder de participar nas decisões das políticas financeira ou operacional de uma sociedade, sem, contudo, controlá-la; e (ii) a influência significativa será presumida quando a Companhia for titular de 20% (vinte por cento) ou mais do capital votante da respectiva sociedade, sem, contudo, controlá-la.
  • Sociedades Controladas: são as sociedades nas quais a Companhia, direta ou indiretamente, é titular de direitos de sócia ou acionista que lhe assegurem, de modo permanente, preponderância nas deliberações sociais e o poder de eleger a maioria dos administradores, nos termos do artigo 243, §2º da Lei das Sociedades por Ações.
  • Stakeholders: Todos os públicos relevantes com interesses pertinentes à Companhia, ou ainda, indivíduos ou entidades que assumam algum tipo de risco, direto ou indireto, em face da sociedade. Entre outros, destacam-se: acionistas, investidores, colaboradores, sociedade, clientes, fornecedores, credores, governos e órgãos reguladores, concorrentes, imprensa, usuários dos meios eletrônicos de pagamento e organizações não governamentais.

IX. Disposições Gerais

É competência do Conselho de Administração da Companhia alterar esta Política sempre que se fizer necessário.

Esta Política entra em vigor na data de sua aprovação pelo Conselho de Administração e revoga quaisquer normas e procedimentos em contrário.