Política de Relacionamento com Stakeholders

Histórico de Revisões

Versão: Data de Revisão: Histórico:
1 03/06/2013 Elaboração do Documento.
2 29/04/2014  Inclusão dos itens 2, 3, 4 e 5
3 26/06/2015 Mudança no nome da política de Relacionamento com as Partes Interessadas para Relacionamento com Stakeholders; Substituição do termo “partes interessadas” por “Stakeholders”;
Inclusão dos itens Abrangência (II), Documentação Complementar (III), Conceitos e Siglas (IV), Responsabilidades (V), Gestão de Consequências (VII), Disposições Gerais (VIII) e Comunidades (17);
Inclusão dos tipos de impactos no item 5; Adequação da descrição dos itens 1.0, 7.2, 9.1, 12.1, 14.1,16 e 16.1.
4 25/08/2017 Atualização dos itens I. Objetivo, II. Abrangência, III. Documentação Complementar, IV. Conceitos e Siglas, V. Responsabilidades e os seguintes subitens das VI. Diretrizes: 1, 5, 10, 14.1, 16 e 16.1.

 

I. Objetivo
Estabelecer diretrizes de engajamento e comunicação com os Stakeholders, construindo relacionamentos de longo prazo, materializando resultados positivos e ancorados nos princípios que norteiam a atuação institucional da Cielo e contribuindo para o desenvolvimento sustentável.

II. Abrangência
Todos os administradores (diretores, estatutários ou não), membros do Conselho de Administração, membros do Conselho Fiscal, membros do Comitês de assessoramento e demais gestores) e colaboradores da Cielo S.A.

III. Documentação Complementar

  • Legislações vigentes no âmbito federal, estadual e municipal.
  • Resoluções do Conselho Monetário Nacional (CMN) e Circulares do Banco Central do Brasil (BACEN) que tratam de Instituições de Meios de Pagamentos (IP);
  • Instruções da Comissão de Valores Mobiliários (CVM);
  • Normas internas aperfeiçoadas constantemente, aprovadas pelas alçadas competentes e disponibilizadas a todos os colaboradores.
  • Código de Conduta Ética da Cielo
  • Política Anticorrupção
  • Política de Compras
  • Política Financeira
  • Política de Gestão Corporativa
  • Política de Produtos e Serviços
  • Política de Relacionamento com o cliente
  • Política de Sustentabilidade
  • Política de Compliance Concorrencial
  • Política de Divulgação de Ato ou Fato Relevante e Negociação de Valores Mobiliários
  • Política de Transações com Partes Relacionadas e Demais Situações Envolvendo Conflitos de Interesses

IV. Conceitos e Siglas

  • Associações e Entidades de Classe: Sociedade de empresas ou pessoas com forma e natureza jurídica próprias, de natureza civil, sem fins lucrativos e não sujeita a falência, constituída para prestar serviços aos seus associados.
  • Clientes: Pessoa física ou jurídica que utiliza os produtos e/ou serviços oferecidos pela Companhia.
  • Colaboradores da Cielo: Funcionários da Companhia e demais integrantes da força de trabalho, tais como trainees, estagiários, menores aprendizes.
  • Companhia: É a Cielo S.A.
  • Comunidades: Grupo especifico de pessoas que reside na mesma área geográfica que a Companhia.
  • Concorrentes: Pessoa física ou jurídica que fornece serviços ou produtos semelhantes ao da Companhia com finalidade de lucro ou não.
  • Desenvolvimento Sustentável: Desenvolvimento que satisfaz as necessidades do presente sem comprometer a capacidade das futuras gerações de suprir suas próprias necessidades (Fonte: ABNT NBR ISO 26000 Diretrizes sobre Responsabilidade Social).
  • Engajamento de partes relacionadas: Atividade realizada para criar oportunidades de diálogo entre uma organização e uma ou mais de suas partes interessadas visando fornecer uma base sólida para as decisões da organização (Fonte: ABNT NBR ISO 26000 Diretrizes sobre Responsabilidade Social).
  • Fornecedores: Pessoa física ou jurídica que fornece insumos (produto, serviço, tecnologia ou informação) para Companhia.
  • Governo, Órgãos reguladores e autorreguladores: Governo Federal, B3 S.A. – Brasil, Bolsa, Balcão, Comissão de Valores Mobiliários (CVM), Banco Central do Brasil e Conselho Administrativo de Defesa Econômica (CADE) e demais órgãos que podem editar regulamentações para o setor.
  • Imprensa: Veículos de comunicação que exercem funções de comunicação informativa sobre a Companhia.
  • Investidores: Pessoa física ou jurídica que possui ações da Companhia.
  • Investimento Social Privado: Investimento social privado é o repasse voluntário de recursos privados de forma planejada, monitorada e sistemática para projetos sociais, ambientais e culturais de interesse público. (Fonte: GIFE – Grupo de Institutos Fundações e Empresas).
  • Parceiros: Pessoa física ou jurídica que estabelece um acordo de cooperação com a Companhia.
  • Stakeholders: Todos os públicos relevantes com interesses pertinentes à Companhia, ou ainda, indivíduos ou entidades que assumam algum tipo de risco, direto ou indireto, em face da Companhia. Entre outros, destacam-se: acionistas, investidores, colaboradores, sociedade, clientes, fornecedores, credores, governos, órgãos reguladores, concorrentes, imprensa, associações e entidades de classe, usuários dos meios eletrônicos de pagamento e organizações não governamentais.
  • Usuários de Meios Eletrônicos de Pagamentos: Pessoa física ou jurídica que utiliza os sistemas e procedimentos relacionados com o processamento e a liquidação de operações de transferência de fundos, de operações com moeda estrangeira ou com ativos financeiros e valores mobiliários.
  • VPE: Vice-Presidência Executiva

V. Responsabilidades

  • Administradores e Colaboradores: Observar e zelar pelo cumprimento da presente Política e demais políticas e normas da Companhia, dentre elas as listadas no item III acima, quando assim se fizer necessário, acionar áreas específicas para atuar mediante a ocorrência de situações nela descritas.
  • VPE Produtos e Negócios: Avaliar os impactos macroeconômicos, sociais, ambientais e planejamento de novos projetos/produtos, bem como inovação junto aos Stakeholders.
  • VPE Desenvolvimento Organizacional: Trabalhar para estabelecer um vínculo emocional do Colaborador com o seu trabalho.
  • Diretoria de Compras: Envolver fornecedores em modelos de negócios transparentes e sustentáveis.
  • Diretoria de Relações com Investidores: Assegurar aos investidores e ao mercado em geral, tempestivamente, transparência, integridade e exatidão na divulgação de informações.
  • Gerência de Comunicação Corporativa (Relações Públicas): Realizar de forma proativa comunicação clara e transparente aos meios de imprensa, preservando a imagem e a reputação da Companhia.
  • Gerência de Relações Institucionais: Defender os interesses da Cielo em políticas públicas junto aos poderes executivos e legislativos, além de associações de classe. Desenvolver relacionamento interno com os colaboradores da Companhia para a criação de estratégias de defesa de interesses, bem como dar suporte para o relacionamento da Companhia como um todo e seus representantes frente ao governo.
  • Gerência de Sustentabilidade e Responsabilidade Corporativa: Incluir, nos processos de negócio da Cielo e relacionamento com os Stakeholders, temas associados à sustentabilidade, assegurando a perenidade do negócio, contribuindo para um meio ambiente saudável, uma sociedade justa e o desenvolvimento econômico e social do país.
  • Área Comercial: Manter o comportamento ético, respeitando os princípios da livre concorrência.
    Fórum de Divulgação: Rever, supervisionar e formalizar procedimentos para a preparação de informações a serem divulgadas ao mercado.

VI. Diretrizes

1. As ações da Diretoria-Executiva e dos demais gestores e colaboradores devem conduzir para o equilíbrio no atendimento das necessidades de todos Stakeholders, promovendo o desenvolvimento da Cielo de forma sustentável.
2. As informações divulgadas pela Cielo publicamente representam o compromisso da Companhia com a prestação de contas aos Stakeholders e com o recebimento de feedback.
3. A Cielo faz gestão ativa dos impactos e relacionamentos decorrentes de sua atividade usual por meio de diversos canais e ações.
4. A Companhia gerencia crises ou situações de conflito com os Stakeholders.
5. A Companhia considera a avaliação dos impactos macroeconômicos, sociais e ambientais junto aos Stakeholders, bem como seus interesses no planejamento de novos produtos ou serviços.
6. Investidores
6.1. A Cielo assegura aos Investidores, incluindo acionistas, e ao mercado em geral transparência, integridade e exatidão na divulgação de informações relativas ao seu desempenho econômico, financeiro, socioambiental, preservando a equidade e a tempestividade.
7. Parceiros
7.1. A Cielo atua em conjunto com os Parceiros buscando as melhores oportunidades para consolidar um ambiente favorável à entrega de produtos e serviços necessários ao seu mercado de atuação.
7.2. As relações de parcerias são valorizadas, baseadas na ética, transparência e no comprometimento com os resultados.
8. Fornecedores
8.1. Os Fornecedores são envolvidos em modelos de negócios transparentes que trazem melhor qualidade nos produtos e serviços, com preços competitivos, que gerem resultados adequados e sustentáveis para ambos.
9. Concorrentes
9.1. A Cielo respeita os Concorrentes e acredita que a concorrência leal contribui para o aperfeiçoamento do mercado.
10. Companhia
10.1. A necessidade de aprimorar cada vez mais o modelo de negócio é reconhecida e desenvolvida, permitindo o alinhamento dos objetivos econômicos às demandas socioambientais de seus principais públicos de relacionamento e da sociedade.
11. Associações e Entidades de Classe
11.1. A importância das Associações e Entidades de Classe é respeitada e reconhecida, apoiando e participando ativamente das iniciativas que promovam o crescimento e fortalecimento setorial.
12. Governo e Órgãos Reguladores
12.1. A Cielo é aderente à legislação e regulamentação vigentes e busca contribuir com o desenvolvimento social e econômico do país, desempenhando um papel importante no combate à evasão fiscal e à lavagem de dinheiro.
12.2. A Cielo colabora com o processo de elaboração das políticas públicas, por meio da ABECS (Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito e Serviços) para o fortalecimento do segmento de credenciadoras.
13. Imprensa
13.1. A comunicação clara e transparente, pautada em nossos valores, é realizada de forma proativa aos meios de imprensa, preservando a imagem e a reputação da Companhia.
14. Clientes
14.1. A Companhia tem por objetivo construir um de relacionamentos de longo prazo com os Clientes, respeitando seus interesses, solucionando suas necessidades, por meio de seus produtos/serviços e fortalecendo o relacionamento entre as partes.
15. Usuários de Meios Eletrônicos de Pagamentos
15.1. A Cielo trabalha para que os Usuários de Meios Eletrônicos de Pagamentos a reconheçam como a melhor empresa de serviços e optem pelos meios eletrônicos como a sua forma de pagamento preferencial.
16. Colaboradores da Cielo.
16.1. Os Colaboradores da Cielo possuem um vínculo emocional com o seu trabalho, tendo a Companhia a ambição de oferecer as condições que eles necessitam para renovar diariamente a sua vontade de vir trabalhar.
17. Comunidades
17.1. A Cielo contribui, por meio do seu negócio, para a inclusão ao sistema financeiro, promovendo o desenvolvimento local e a circulação da renda, impulsionando a economia.
17.2. Por meio do investimento social privado, a Cielo busca promover o desenvolvimento nas regiões em que atua.

VII. Gestão de Consequências
Colaboradores, fornecedores ou outros Stakeholders que observarem quaisquer desvios às diretrizes desta Política, poderão relatar o fato ao Canal de Ética (www.canaldeetica.com.br/cielo ou 0800 775 0808), podendo ou não se identificar.
Internamente, o descumprimento das diretrizes desta Política enseja a aplicação de medidas de responsabilização dos agentes que a descumprirem conforme a respectiva gravidade do descumprimento.

VIII. Disposições Finais
É competência do Conselho de Administração da Companhia alterar esta Política sempre que se fizer necessário.
Esta Política entra em vigor na data de sua aprovação pelo Conselho de Administração e revoga quaisquer normas e procedimentos em contrário.