Política de Gestão Corporativa

Histórico de Revisões

 

Versão: Data de Revisão: Histórico:
1 03/06/2013 Elaboração do Documento.
2 26/06/2015 Inclusão dos itens Abrangência (II), Documentação Complementar (III), Conceitos e Siglas (IV), Responsabilidades (V), Gestão de Consequências (VII), Exceções (VIII) e Disposições Gerais (IX);
Atualização do texto do item Diretrizes (VI): inclusão da palavra “organizacionais” no item 2; adequação dos termos do item 4; inclusão dos itens 5, 6, 7 e 10; atualização dos itens 3 e 9.
3 03/05/2016 Atualização da missão da Cielo no item 1 do tópico Diretrizes (VI).
19/09/2018 Por não haver alteração no conteúdo desta política, a mesma foi revalidada pela Diretora Executiva (DE) e Conselho de Administração (CA) e, portanto, não foi gerada uma nova versão.

 

I. Objetivo
Estabelecer as diretrizes a serem observadas pela Administração na gestão e interesses Corporativos da Cielo, visando a sustentabilidade do negócio no longo prazo.

II. Abrangência
Todos os administradores (Diretores, membros do Conselho de Administração e Comitês) e
colaboradores da Cielo S.A.

III. Diretrizes

1. A Cielo tem como missão “Encantar nossos clientes com as melhores soluções de
uma empresa líder, rentável e sustentável, com colaboradores apaixonados”.

2. A Cielo tem como valores organizacionais:

2.1 Colaboradores com atitude, espírito de equipe e paixão em tudo o que fazem;
2.2 Cliente encantado;
2.3 Atitude de dono;
2.4 Ética em todas as relações;
2.5 Excelência na execução;
2.6 Inovação com resultados;
2.7 Sustentabilidade e Responsabilidade Corporativa.

3. A governança corporativa é exercida pelos órgãos de Administração, composto por um Conselho de Administração e uma Diretoria Estatutária, conforme poderes e atribuições definidas no Estatuto Social, sendo também permitida a delegação de poderes conforme limites estabelecidos em normas internas. Adicionalmente, a Companhia mantém uma Secretaria de Governança, seguindo as boas práticas de gestão do tema.

4. O Conselho de Administração é assessorado por comitês de assessoramento com formação e competência específica definida por regimentos próprios conforme matéria e especialidade.

5. A Diretoria Estatutária da Cielo e todos os demais gestores buscam o aprimoramento constante da eficiência operacional, do capital intelectual e da sustentabilidade do sistema de gestão, considerando a missão da Companhia, os valores organizacionais, o plano estratégico e as metas anuais definidas pelo Conselho de Administração para garantir a liderança da Companhia nos seus segmentos de atuação.

6. A liderança da Cielo é a responsável por garantir que os valores organizacionais sejam a referência de todas as decisões, por moldar uma cultura meritocrática e de desempenho diferenciado e por oferecer um clima engajador para todos os colaboradores.

7. A Cielo está comprometida em fornecer um ambiente de trabalho seguro e saudável aos seus colaboradores, buscando a melhoria contínua nos processos de Segurança do Trabalho e Saúde Ocupacional, garantindo que faça parte das premissas do negócio que norteiam as decisões gerenciais da Cielo.

8. O planejamento estratégico cobre o período de 5 (cinco) anos e deve ser revisado pelo menos a cada 3 (três) anos, levando em consideração aspectos de mercado, regulatórios, econômicos e socioambientais e estabelecendo diretrizes para o processo orçamentário. O plano é desdobrado para as macros funções críticas da Companhia, sendo compatível com o horizonte do planejamento estratégico.

9. O desempenho global da Cielo é analisado tempestivamente e com rigor, de forma a avaliar o seu progresso em relação às estratégias e aos planos de ação, apoiar a tomada de decisão e permitir a correção de rumos.

10. A Cielo busca oferecer a seus clientes produtos e serviços diferenciados. Para isso a capacidade de inovação e a plataforma de sistemas são constantemente fortalecidas e aperfeiçoadas.

11. É responsabilidade dos órgãos de Administração e de todos os colaboradores da Companhia, prestadores de serviço ou parceiros, observar e seguir as Políticas, normas e procedimentos da Cielo.

IV. Gestão de Consequências

Colaboradores, fornecedores ou outros stakeholders que observarem quaisquer desvios às diretrizes desta Política, poderão relatar o fato ao Canal de Ética (www.canaldeetica.com.br/cielo ou 0800 775 0808), podendo ou não se identificar.

Internamente, a não observância das determinações dessa Política acarretará em ações de gestão de consequência que poderão variar desde uma orientação sobre como proceder para anular ou ao menos minimizar os eventuais problemas criados até a demissão por justa causa dos responsáveis.

Em casos externos, o descumprimento das diretrizes desta Política enseja a aplicação de medidas cíveis e/ou criminais conforme a respectiva gravidade do descumprimento.

V. Exceções

As exceções à essa Política deverão ser aprovadas pelo Diretoria Executiva da Cielo.

VI. Responsabilidades

  • Administradores e Colaboradores: Observar e zelar pelo cumprimento da presente Política e, quando assim se fizer necessário, acionar a VPE de Desenvolvimento Organizacional para consulta sobre situações que envolvam conflito com esta Política ou sempre que ocorrer as situações descritas nesta Política.
  • VPE de Desenvolvimento Organizacional, VPE Finanças e RI e VPE Produtos e Negócios: São os guardiões dessa Política e responsáveis pelo seu aperfeiçoamento, atualização, comunicação para os públicos relacionados, publicação e ativação. São também responsáveis pela definição das ações de gestão de consequência referentes à não observação do que essa Política determina.

VII. Documentação Complementar

  • Legislações vigentes no âmbito federal, estadual e municipal.
  • Estatuto Social
  • Código de Ética
  • Normas internas aperfeiçoadas constantemente, aprovadas pelas alçadas competentes e disponibilizadas a todos os colaboradores.

VIII. Conceitos e Siglas

  • VPE: Vice-Presidência Executiva.
  • Stakeholders: são todos os públicos relevantes com interesses pertinentes à Companhia, ou ainda, indivíduos ou entidades que assumam algum tipo de risco, direto ou indireto, em face da sociedade. Entre outros, destacam-se: acionistas, investidores, colaboradores, sociedade, clientes, fornecedores, credores, governos e órgãos reguladores, concorrentes, imprensa, associações e entidades de classe, usuários dos meios eletrônicos de pagamento e organizações não governamentais.

IX. Disposições Gerais
É competência do Conselho de Administração da Companhia alterar esta Política sempre que se fizer necessário.

Esta Política entra em vigor na data de sua aprovação pelo Conselho de Administração
e revoga quaisquer normas e procedimentos em contrário.